Poupe dinheiro com o frigorífico

28 02 2009

poupe-dinheiro-com-o-frigorifico

 

Segundo dados da EDP o consumo energético do frigorífico, representa 32% do consumo total de electricidade. Por isso, uma correcta escolha do equipamento, aliada a uma correcta utilização, pode representar uma poupança significativa de energia (e euros) ao fim do ano.

 

Aquando a aquisição de um novo equipamento (frigorifico ou arca congeladora), deveremos ter em atenção dois parâmetros, a classe energética e a capacidade. Em termos de classe energética, deveremos optar por um frigorifico classe A+ ou A++, em termos de capacidade, deverá ser adequada a dimensão do agregado e/ou volume de compras. Um frigorífico sobredimensionado implica um consumo energético desnecessário.

 

A etiqueta energética, não só contêm a classe energética, como também contêm o consumo anual previsto (KWh). Este dado é importante para verificar diferenças entre equipamentos da mesma classe energética e se multiplicarmos por 0.12€/KWh sabemos quanto iremos pagar por ano nesse equipamento.

 

Não é só na aquisição do equipamento que podemos poupar, uma correcta utilização do mesmo pode marcar a diferença. Seguidamente apresento algumas dicas:

 

Coloque o frigorífico num lugar fresco, ventilado e livre de radiação solar. Também devemos evitar colocar o equipamento próximo de outras fontes de calor como o forno, a máquina de lavar roupa ou louça, etc.

 

A manutenção do frigorífico é muito importante, se notar que o compressor está a ligar muitas vezes ou em períodos prolongados, é sinal que algo de incorrecto se está a passar com o equipamento.

 

Com o passar do tempo, as borrachas tendem a perder qualidades e deixam de vedar correctamente. O aparecimento de humidade em zonas próximas das borrachas é um indício de incorrecto funcionamento.

 

Descongelar o frigorífico antes que a capa de gelo alcance os 3 milímetros de espessura. Assim é possível conseguir poupanças de energia de cerca de 30%.

 

Abrir a porta apenas quando necessário e fecha-la assim que possível. É de realçar que 20% do consumo destes equipamentos deve-se à abertura das portas.

 

Afaste a grelha traseira (condensador) no mínimo 5 cm da parede e limpe-a, pelo menos, uma vez por ano.

 

Manter os alimentos bem tapados, de modo a diminuir a libertação de humidade, evitando que o frigorífico gaste mais energia.

 

Deixar arrefecer os alimentos antes de os colocar no frigorífico.

 

Quando se ausentar por um período prolongado, esvazie o frigorífico e desligue-o.

Anúncios




Globalização

26 02 2009

globalizacao

É um tema que a maioria da população não sabe o significado da própria palavra. Alias esta palavra ou mais bem o conceito de globalização, não está ainda definido, daí o receio e a manifestação de parte da população contra a mesma. Esta fracção de população teme que a globalização seja algo parecido com a colonização e que os países mais ricos e influentes, o G8, tenham o poder e explorem os países mais pobres. Esperemos que esta seja uma visão errónea da Globalização.

A Globalização pode e deve ter impactos positivos, pois há problemas que apenas podem ser resolvidos com politicas globais, como por exemplo do binómio energia e ambiente. Neste sentido já foram tomadas algumas medidas, como o programa ITER que tem como objectivo a construção de uma central de fusão nuclear piloto (ver mais detalhes neste blog aqui). Este é um pequeno passo tomado em termos de politica global, mas o caminho a percorrer para resolver este problema, necessita um empurrão maior.

A crise energética e as alterações climáticas não são o único problema grave no planeta. Em pleno século XXI ainda existe fome, guerra, ignorância… Estes problemas devem ser combatidos numa forma global, a repartição de alimentos, a manutenção da paz e o ensino devem ser apoiadas pelos países ricos aos mais pobres.

No meu ver é importante a interacção das várias economias para o combate a problemas globais. Apenas neste âmbito deve existir a globalização.





Casa Inteligente

24 02 2009

casa-inteligente

 

Conhecido como Domótica, isto é, robótica ou automatismos que facilitam a vida doméstica, luzes inteligentes que acendem e apagam conforme necessário, estores que abrem e fecham, casas capazes de avisar a presença de intrusos, fogo ou fugas de gás. Isto é o que a Domótica nos oferece nos dias de hoje.

 

O conceito de Domótica está a transformar-se e em breve não teremos só a Domótica associada a automatização dos dispositivos como teremos uma vertente ligada a eficiência energética. Neste momento estão a surgir equipamentos capazes de monitorizar os consumos energéticos de modo ao utilizador poder analisar se os consumos. Contudo, no curto prazo, surgirão “packs” capazes de “educar” o utilizador a poupar energia, outros mais evoluídos serão capazes de optimizar a eficiência energética por si só.





A Política dos 4 anos

22 02 2009

a-politica-dos-4-anos1

 

O desenvolvimento da Nação é fortemente afectado pela gestão dos dinheiros públicos. Esta gestão está ao cargo dos políticos elegidos geralmente de 4 em 4 anos. Em que a luta para ocupar os lugares vagos entre as forças partidárias e desenfreada, utilizando todo o tipo de argumentos de modo a influenciar o voto do povo.

 

O grande problema está no tipo de politicas adoptadas pelas forças partidárias que estão no poder. Estas preocupam-se essencialmente em fazer uma gestão de 4 anos para apresentar trabalho de modo a conseguir a reeleição. Este tipo de politicas causam sequelas a longo prazo, como excesso de endividamentos e obras que vão precisar novas intervenções a médio prazo.

 

As evidências estão a vista de todos, este ano (ano de eleições), iremos assistir a uma data de inaugurações de novas obras, quem terá uma análise mais critica, conseguirá verificar que parte delas são de mera campanha politica, desnecessárias e que precisarão de nova intervenção no curto ou médio prazo.

 

Eu sonho com uma democracia limpa, com uma gestão optimizada, com uma sustentabilidade global e local, mas não basta só sonhar! Temos que passar a mensagem e apresentar politicas alternativas e acabar com o “show-off “ mostrado na Assembleia da Republica e Assembleias Municipais, onde por vezes assistimos a uma troca de argumentos desmedidos por parte de deputados e são esquecidos os problemas que realmente afectam a sociedade.





A procura de Deus

21 02 2009

deus

 

Quem nunca se questionou sobre quem é Deus? Pois é verdade, todos alguma vez já tentamos descobrir quem é, procura-lo, mas poucos o encontram porque não sabem o que exactamente procuram.

 

Deus e o desconhecido, a criação, o para além do infinito… Deus é simplesmente a explicação a tudo aquilo que o ser humano não tem resposta e nunca terá. Ao longo da história o homem precisou de Deus ou até de Deuses, para poder explicar determinados fenómenos que hoje em dia são considerados naturais, contudo, continuam a existir fenómenos inexplicáveis…

 

A fé e a religião sempre foram pontos que fortalecerem e guiam o homem, por isso devemos acreditar que há uma força superior a nós e que a vida tem sentido, porque a vida é a criação e a criação é Deus.





A burocracia

19 02 2009

a-burocracia1

 

A palavra burocracia está popularmente associada a ineficiência, o que não é verdade. A burocracia é um modelo organizacional de funcionamento de empresas ou organismos. Um dos pontos importantes deste modelo é efectuar registos de todas as acções importantes de forma organizada, possibilitando assim efectuar consultas quando necessário. Estes registos e sua organização são muito importantes para o sustento de organizações de media e grande dimensão e inclusive algumas pequenas, sem esta metodologia, reinaria a anarquia e o caos nestas organizações.

 

O que se pode classificar como um problema é o excesso de burocracia, que consiste em repetir informação, causando lentidão e aumentando a possibilidade de erros de informação e inconsistência de dados. Existe uma ciência que se chama sistemas de informação, o objecto de estudo desta é a optimização de bases de dados, seguindo metodologias é possível eliminar repetição de informação e interligar bases de dados de forma ideal. Por exemplo, porque que cada vez que preenchemos um impresso, temos que colocar uma infinidade de dados? Com o número de BI é suficiente para identificar os principais dados de uma determinada pessoa! Na minha opinião deveria ser criada uma base de dados comum que possibilitasse consultas de todos os organismos (segurança social, SNS, Finanças, etc.) e em que os utilizadores tivessem diferentes níveis de acesso.





Fusão Nuclear

17 02 2009

fusao-nuclear

A fusão nuclear é apontada como a principal fonte de energia a utilizar em meados deste século. É sem margem de dúvidas a energia do futuro. Contudo esta tecnologia não é conhecida pela população em geral, isto porque é confundida pela fissão nuclear. A fissão nuclear consiste na separação do núcleo de átomos de grande dimensão como o urânio. Esta é a energia nuclear comercializada nos dias de hoje, não produz gases com efeito de estufa mas tem desvantagens como os resíduos nucleares ou o risco perante desastres naturais ou manutenção incorrecta. Por sua vez, a fusão nuclear é a reacção que acontece no sol e em outras estrelas. Consiste na junção de dois átomos de hidrogénio e formar Hélio. Esta fonte de energia não produz resíduos nem existem riscos de desastres como em Chernobyl, vistos que a reacção de fusão nuclear para em milésimos de segundo.


Actualmente ainda não se conseguiu produzir energia por fusão nuclear com rendimento. Para se produzir energia por fusão nuclear é necessário elevar a temperatura do Hidrogénio até 100.000.000ºC de modo a conseguir que dois protões se fundam, obtendo muita energia dessa reacção. Para conseguir estas condições é necessário aplicar muita energia, contudo, a energia que se obtém pela reacção de fusão é em teoria cerca de 10 vezes superior a energia necessária para se criarem as condições de reacção.


Existe um projecto em curso pelos países do G8 chamado como ITER que consiste em fabricar um reactor de fusão nuclear. O local de fabricação é em Cadarache (França), esta unidade produzira 500MW e estará pronto em 2014 com um custo previsto de 10.000 milhões de euros.